Excesso de flúor: entenda os riscos e consequências para o organismo

Se você acha que quanto mais flúor melhor para limpar os dentes, leia esse artigo!

 

Qual o papel do flúor na saúde bucal e o que flúor?

Podemos encontrar o flúor em diversas formas na natureza, ele é um mineral bastante reativo. Ao combiná lo com com algumas substâncias ele se torna um forte aliado ao organismo.

O fluoreto de sódio é usado na pasta de dente e também na fórmula do gel usado pelos dentistas para fazer a limpeza dentária no consultório.

O flúor é incorporado pelo esmalte ao entrar em contato com a superfície dos dentes, e atua contra a formação de placa bacteriana (link artigo sobre placas) e das cáries. Por auxiliar no fortalecimento dos dentes, o fluoreto de sódio (flúor) tem um importante papel na saúde bucal.

 

Flúor em excesso prejudica?

Fluorose é o nome dado pelo excesso de flúor que pode levar a um quadro de intoxicação crônica. Isso pode levar a um problema se saúde bucal que pode afetar o esmalte e levar à perda do cálcio, a estrutura dos dentes é afetada de forma definitiva.

O período mais arriscado de ocorrer isso é na troca de dentes de leite pelos permanentes, causado pelo uso inadequado de pasta de dentes contendo flúor, principalmente por crianças nessa fase. Mas isso não restringe somente às crianças, adultos que usam grande quantidade de pasta de dentes estão correndo risco também.

 

Fluorose pode causar o que?

Começa com pequenas manchas brancas nos dentes, em formato de linhas ao longo da superfície. Permanecendo o excesso as manchas se tornam escuras até chegar na cor marrom.

Em casos mais graves causa a perda do esmalte e do cálcio nos dentes, ocorrendo fraturas e até a queda do dente.

É impossível eliminar por completo as manchas depois que aparecem. Prevenção e orientação são necessários.

 

Cuidados na limpeza dentária.

Usando a pasta de dente corretamente podemos evitar os males causados. É recomendado apenas água filtrada ou soro fisiológico em crianças até 6 meses de idade ao fazer a limpeza das gengivas (link odontopediatria).

Até os 6 anos de idade devemos usar as pastas sem flúor ou com baixa quantidade de flúor.

Após essa idade com a orientação de um adulto pode se usar pasta fluoretada, para evitar que as crianças engulam o produto.

Uma pequena quantidade de pasta é o necessário para uma limpeza bucal em um adulto, o que remove restos de comida e as bactérias são os movimentos da escola.

O que é Ortodontia?

Área da Odontologia que estuda o desenvolvimento e crescimento da face, bem como o desenvolvimento das dentições de leite, mista e permanente e seus desvios de normalidade, prevenindo, interceptando e corrigindo as más oclusões dentárias.

Por que realizar esse tratamento?

Restabelecer a oclusão dentária (perfeito engrenamento dos dentes superiores com os inferiores) é a principal função do tratamento ortodôntico, que é fundamental para a correta mastigação e, consequentemente, a adequada nutrição e saúde bucal.

Com a oclusão restabelecida, evitam-se problemas relativos à deglutição, fala, respiração, e articulação temporomandibular (ATM).

Não existe idade máxima para a realização de tratamento ortodôntico, embora no paciente adulto alguns cuidados especiais devam ser tomados, principalmente em relação aos tecidos de suporte dos dentes, que podem chegar a contraindicar o tratamento (problemas periodontais).

Como é feito o tratamento?

O tratamento ortodôntico, no início, causa certa sensibilidade, principalmente na fase de colocação do aparelho. Após essa fase, existirá algum desconforto para o paciente cerca de 24 a 48 horas após os ajustes praticados.

Os riscos aos pacientes são quase inexistentes quando o tratamento é bem planejado e executado por profissional qualificado, desde que este siga todas as instruções dadas, principalmente com a higiene bucal, pois os detritos podem causar problemas gengivais, periodontais, manchas brancas ou mesmo cáries dentárias.

Podem ocorrer pequenas acomodações pós-tratamento, ligadas ao crescimento e às alterações funcionais. Essa tendência é normalmente bem controlada e minimizada através de um bom planejamento ortodôntico.

Tipos de Aparelhos

Aparelhos fixos unidos aos dentes através de uma substância adesiva ou cimento, são compostos por bráquetes (metálicos, plásticos ou cerâmicos), tubos e anéis, que suportam o arco metálico responsável pela movimentação dentária. Permitem maior movimentação dos dentes e independem da colaboração do paciente.

Aparelhos removíveis encaixados na boca, podendo ser retirados pelo paciente ou pelo ortodontista, e dependem da colaboração do paciente. Podem ser ortodônticos, os quais realizam pequenas movimentações dentárias; ou ortopédicos, utilizados nas correções de alterações esqueléticas (ósseas).

 

Aparelho ortodôntico: os diferentes modelos e suas funções


Quem usa aparelho ortodôntico sabe que ele acaba se tornando um acessório de beleza, assim como os óculos, por exemplo. De acordo com a vaidade de cada pessoa, a cor e modelo escolhidos fazem toda diferença. Os aparelhos podem ser prateados, coloridos, transparentes ou até mesmo invisíveis. No mercado temos inúmeros tipos para cada tipo de má oclusão, mas podemos genericamente dividir em aparelhos fixos e móveis que podem ter efeitos nos dentes (ortodônticos) e na estrutura óssea que sustenta os dentes (ortopédicos).

Aparelho fixo

É o tipo mais comum. Possui bandas, fios e/ou braquetes. Os dentes são puxados, movendo-se gradualmente em direção à posição correta. Esse tipo de aparelho não permiti a remoção, com isso, não depende muito da colaboração ou utilização por parte do paciente para obter resultados efetivos. Com esse aparelho se obtém movimentos precisos dos dentes, porém exigindo um maior cuidado na sua higienização. Os aparelhos fixos atuais estão muito mais anatômicos e confortáveis para a boca.

Aparelho fixo estético

Possui a mesma função que o aparelho de metal: corrigir dentes tortos e desalinhados. Porém, esse modelo é feito de materiais transparentes, mantendo assim uma melhor estética quando comparado ao metálico. Os braquetes são feitos, em geral, de policarbonato, porcelana ou safira. Além de super discreto, eles não desgastam e proporcionam mais segurança e beleza ao sorriso do paciente. A procura por esse tipo aumenta constantemente. É uma excelente opção para quem quer e precisa corrigir a má formação sem deixar de lado a estética e a aparência.

Aparelho móvel

Muito eficaz para crianças com ou sem dentição definitiva. Em geral, até uns 12 anos de idade é aconselhável esse tipo de aparelho. Explicando de uma forma bem simples, o aparelho móvel tem a função de manter os dentes na posição certa, por isso, ele é indicado após a retirada do aparelho fixo para conter o desalinhamento dos dentes. Mesmo que seja móvel, seu uso deve ser constante. Deixar de usá-lo regularmente pode prejudicar todo o resultado do tratamento.

Expansor Palatino

Muita gente nem conhece, mas o expansor palatino é também um tipo de aparelho. Esse modelo promove um ganho transversal na largura do palato (céu da boca) sendo indicado em jovens para corrigir mordidas cruzadas, ou seja, quando a região posterior do arco superior estão estreitos em relação ao inferior, além de ganho de espaço para dentes anteriores apinhados.

Para obter o mesmo resultado em adultos, muitas vezes é necessária uma intervenção cirúrgica. Por isso, insistimos na velha máxima de que quanto mais cedo for tratado, melhor. A procura do tratamento ortodôntico pelos pais para os seus filhos está cada vez mais consciente, seja pela indicação do odontopediatra ou pelo seu médico pediatra. Mas o bom é que não temos idade “máxima” para começar a correção, os adultos também se beneficiam com tratamentos mais eficientes e estéticos.

Aparelhos alinhadores

Mais usado em tratamentos odontológicos estéticos, os alinhadores são quase invisíveis e bastante sofisticados feitos sob medida. São produzidos através de softwares que permitem visualizar os planejamentos e resultados pretendidos. Bem legal, não é? Os alinhadores promovem um tratamento não só higiênico, mas estético, com menos dores e mais eficiência nos resultados.

Essa também é uma boa opção para as pessoas que apresentaram alguma rejeição relacionada ao metal ou, especificamente, ao níquel que existe em aparelhos metálicos, provocando inflamação excessiva na gengiva. As rejeições pode ser contornadas com o uso desses alinhadores que seria o ideal devido a ausência de partes metálicas.

Aparelho lingual

Para casos mais simples, de curta duração, o aparelho lingual costuma ser o mais indicado. Ele também é considerado um aparelho da ortodontia invisível, já que os braquetes são colados na parte interna dos dentes, ficando em contato com a língua, ou seja, os dentes escondem o uso do acessório. Sua funcionalidade é a mesma de um aparelho fixo. Além do ganho estético, o modelo é indicado para praticantes de esportes de maior contato, já que uma pancada na região da boca pode provocar traumas ocasionados entre o impacto e o aparelho cortando a boca.

 

Dentística

Dentística

Cada vez mais as pessoas buscam saúde, beleza física e estética. Nos dias de hoje, dentes claros, bem contornados e alinhados estabelecem o padrão de beleza. Portanto, os dentes não têm mais apenas a finalidade funcional.

 

Dentística é o ramo da Odontologia que atua na área da cosmética e da restauração dental. Essa especialidade estuda e aplica de forma integrada o conjunto de procedimentos odontológicos com o objetivo de preservar e devolver ao dente sua integridade estrutural, funcional e estética. Os profissionais dessa área tratam de clareamentos dentais, uso de resinas diretas, peeling gengival, facetas e restaurações.

 

Saiba o que o especialista em Dentística pode fazer pelo meu sorriso!

Ela foi reconhecida como uma especialidade na década de 70 e, desde então, vem se desenvolvendo para transformar sorrisos. Se você deseja alinhar bem-estar e saúde de uma só vez, a Odontologia Estética é a área mais indicada para traçar um plano e harmonizar seus dentes da melhor maneira possível.

Restaurar e prevenir

Reparar danos e planejar os cuidados para manter um sorriso em harmonia: é pensando nisso que o especialista em Dentística realiza tratamentos preventivos e restauradores. Sendo habilitado a ter uma visão estética tanto em conjunto, quanto de cada dente individualmente ele busca a manutenção ou restabelecimento da forma, função e estética dos dentes.

Procedimentos mais comuns

O especialista em dentística atua fazendo procedimentos estéticos como clareamento dental, facetas, lentes de contato, fechamento de diastemas, entre outros. Com o tempo, a evolução dos materiais dentários possibilitou a multiplicação de diversas técnicas nesse ramo.

Conheça alguns dos procedimentos:

 

Facetas de porcelana

As facetas são pequenas capas de porcelana coladas na face externa de um ou vários dentes que já existem a fim de melhorar a forma e/ou a cor do dente. É bastante aplicado a pacientes que sofreram de desgaste ou muitas restaurações nos dentes. A faceta é utilizada também quando o clareamento dental não atingiu o resultado esperado nos dentes.

 

Clareamento

Dentes brancos são um dos símbolos da beleza estética. Muitas vezes pessoas com dentes escurecidos perdem a autoestima e até podem ficar com vergonha de sorrir.

O clareamento dental age através de moléculas dos géis ou produtos oxidantes que penetram no esmalte e dentina. Isso libera oxigênio, que quebra moléculas de pigmentos causadores das manchas nos dentes. H á também uma técnica mais moderna que utiliza o laser.

Quando o tratamento é feito por um profissional qualificado, o clareamento dental não apresenta riscos, não causa danos à gengiva e nem afeta a estrutura dos dentes.

 

Cirurgia

Por que dentes são extraídos

 

Os dentes são extraídos por vários motivos:

  • Uma cárie muito profunda no dente;
  • Uma infecção que destruiu uma grande porção do dente ou do osso adjacente;
  • Não existe espaço suficiente para todos os dentes em sua boca.

Muitos dentistas recomendam a extração de dentes inclusos que nasceram apenas parcialmente. As bactérias podem se instalar em volta de um dente que nasceu parcialmente, causando uma infecção, a qual pode se estender para o osso adjacente e tornar-se um problema ainda mais sério. Os dentes inclusos continuam tentando atravessar o tecido da gengiva mesmo quando não há espaço suficiente para acomodá-los. A constante pressão causada por esta tentativa de erupção pode acabar afetando as raízes dos dentes vizinhos. Remover um dente incluso pode evitar uma infecção, danos aos dentes e osso adjacentes, além de evitar um sofrimento futuro.

 

Como são extraídos os dentes?

Antes de extrair um dente, seu dentista fará uma revisão completa no seu histórico médico e dentário e providenciará as radiografias necessárias.

As radiografias revelam o comprimento, formato e posição do dente e osso adjacente. Com base nessas informações, seu dentista poderá avaliar o grau de dificuldade do procedimento e decidir se deverá encaminhá-lo para um especialista, no caso, um cirurgião-dentista.

Antes da extração, a área em volta do dente será anestesiada. Os dentistas utilizam um anestésico local para amortecer a área da boca onde a extração ocorrerá.

Seu dentista também poderá suavizar e remodelar o osso que sustenta o dente. Terminada esta etapa, ele poderá optar por fechar a área com alguns pontos cirúrgicos.

 

O que esperar após uma extração?

É essencial manter a área limpa e prevenir infecções logo após a extração de um dente. Seu dentista pedirá que você morda levemente um pedaço de gaze seca e esterilizada, que você deverá manter no local durante 30 a 45 minutos, a fim de estancar o sangramento enquanto o sangue não coagula. Nas 24 horas seguintes, você não deve fumar, enxaguar a boca vigorosamente ou limpar os dentes próximos ao local da extração.

Pode-se esperar um pouco de dor e desconforto logo após uma extração. Em alguns casos, seu dentista poderá prescrever-lhe um analgésico. Colocar gelo sobre a face durante 15 minutos também pode ajudar. Deve-se, também, beber água com um canudo, limitar atividades bruscas e bebidas quentes. No dia seguinte à extração, seu dentista pode sugerir que você comece a lavar sua boca gentilmente com água morna e sal (não engula a água). Em circunstâncias normais, o desconforto deve diminuir num período de três dias a duas semanas. No caso de dor intensa ou prolongada, inchaço, sangramento ou febre, ligue para seu dentista imediatamente.

 

Remoção / Extração de Dentes

A área em volta do dente é anestesiada antes da extração.

Um forceps ajuda a amolecer o dente.

Fórceps dentário é utilizado para remover o dente.

Periodontia

O que é Periodontia?

Especialidade odontológica responsável pela prevenção e tratamento das doenças que acometem os tecidos que fixam o dente aos ossos e protegem os dentes (tratamento da gengiva e do osso). Essa é a área que trata as inflamações e infecções da gengiva.

O que é Doença Periodontal?

Infecção causada por bactérias que afeta os tecidos que rodeiam os dentes; caracteriza-se pela formação de um espaço indesejável entre a gengiva e o dente, chamado de bolsa periodontal, a qual favorece o acúmulo de resíduos alimentares e bactérias.

A Doença Periodontal é a principal causadora da perda de dentes em adultos. A sua prevenção pode ser feita unicamente removendo a placa bacteriana através de limpeza bucal doméstica com fio dental e escova, mais limpezas periódicas feitas pelo dentista.

O sinal mais característico da Doença Periodontal é o sangramento, mas devemos estar atentos também para: alterações na posição dos dentes, mobilidade, retrações gengivais, retenções de alimento, inchaço etc.

Problemas mais comuns:

Gengivite e periodontite são os problemas comuns, sendo o segundo o mais grave, pois pode levar à perda dos dentes. A maior causa dessas doenças está na falta de higiene bucal adequada. Por isso, a importância de conhecer o passo a passo da escovação e demais hábitos de limpeza.

Alguns sinais e sintomas das doenças periodontais:

Sangramento gengival;

Mau hálito persistente (Halitose);

Gengivas vermelhas, inchadas e sensíveis;

Gengivas que se afastam dos dentes (retração);

Exsudato purulento (pus) entre a gengiva e o dente;

Alteração no formato gengival;

Mobilidade dentária;

Frequentemente indolor (assintomático);

Presença de cálculo ou tártaro;

A forma de prevenir as doenças periodontais é a utilização correta da escova de dentes e do fio dental, e ainda visitas periódicas ao seu cirurgião-dentista (Periodontista).

 

Odontopediatria

Odontopediatria        

Se você tem filhos, certamente já os levou a uma consulta com o odontopediatra para cuidados e prevenções na saúde bucal. A odontopediatria é a área da odontologia que cuida da saúde bucal das crianças e adolescentes. A especialidade tem como objetivo o diagnóstico, a prevenção, o tratamento e o controle dos problemas de saúde bucal dos bebês e crianças.
O profissional dessa área não só ajuda a tirar as dúvidas sobre a troca dos dentes de leite e como realizar a escovação correta, mas pode fazer um acompanhamento muito mais profundo, inclusive antes mesmo do nascimento da criança.

A orientação deve começar desde cedo com os pais e estender-se ao longo do desenvolvimento da criança, por meio de um trabalho contínuo de promoção de saúde bucal. Prevenir os problemas bucais enquanto bebês é evitar problemas futuros.

A criança e o adolescente devem receber acompanhamento e orientação sobre escovação e dietas, simultaneamente devem fazer o controle de placa bacteriana, aplicação tópica de flúor e selante.

Não podemos esquecer que, antes de se tornar especialista, o dentista estuda todos os campos da odontologia quando se forma cirurgião. Por isso, o profissional consegue atender pacientes de outras idades.

A moderna odontologia caracteriza-se por promover a saúde bucal, por meio de técnicas comprovadamente eficazes de prevenção. Alimentação saudável, correta higiene bucal e ausência de hábitos nocivos, são atitudes preventivas. Mesmo quando a criança não apresentar cáries, os pais devem procurar o dentista para que este faça uma avaliação preventiva de cáries e problemas periodontais.

   

                               

A odontopediatria é o futuro do sorriso

A infância é uma fase muito importante da vida e que precisa de atenção em todos os sentidos, até mesmo na saúde bucal. A odontopediatria tem um grande valor nessa missão.

Endodontia (Canal)

Entenda o conceito de endodontia

Os problemas bucais afetam diversas pessoas em algum momento da vida, seja pela falta de periodicidade ao dentista ou por deficiência de higienização correta. Uma das incidências mais comuns é a cárie, que pode provocar sensibilidade, dores, deteriorações e, nos casos avançados, comprometer a polpa e a raiz dos dentes.

 

O que é endodontia?

A endodontia é uma área específica da odontologia que se ocupa de doenças e lesões na polpa e na raiz do dente. Geralmente, costuma-se intitular a endodontia como “tratamento de canal”, nome popularmente conhecido entre os pacientes. Este tratamento remove o tecido mole que se encontra no canal do dente que pode estar inflamado, infectado ou necrosado.

Quando é necessário realizar um tratamento de endodontia?

Somente um dentista pode diagnosticar o desenvolvimento de uma doença que precise de tratamento de canal. Uma das situações mais comuns na endodontia é quando uma cárie se torna muito profunda, atingindo a polpa dental.

É essencial consultar um odontologista especialista em endodontia, pois a remoção da polpa dentária afetada é um processo cirúrgico minucioso, realizado essencialmente com a aplicação de anestesia. Para evitar a extração do dente, o odontologista realiza o tratamento de endodontia em sessão única em alguns casos são necessárias várias etapas e consultas ao dentista para que o quadro seja definitivamente solucionado.

Após aplicar a anestesia, o odontologista realiza uma abertura no dente que receberá o tratamento. Por essa abertura, a polpa dentária morta ou infeccionada é extraída. Em seguida, os canais dentários e o espaço pulpar são esvaziados e limpos para receber o preenchimento. O material próprio para o preenchimento é aplicado em cada um dos canais dentários, que são cimentados e podem receber pinos de plástico ou metal, garantindo a resistência do dente tratado. Para finalizar, o dente que passou pelo tratamento de endodontia recebe uma coroa para que fique com um aspecto natural.

 

Como evitar a necessidade de um tratamento endodôntico decorrente de uma cárie?

A forma mais eficaz de evitar o surgimento de cáries é manter uma rotina de cuidados diários com a saúde bucal, como a escovação dos dentes após as refeições, principalmente após o consumo de doces, a utilização de fio dental e enxaguante com ação contra bactérias e até mesmo a utilização de flúor na concentração de 0,05% como método de profilaxia.